Tendências Tecnológicas para 2020.

1ª Tendência: Automação de processos robóticos (RPA)

As empresas passaram a perceber ganhos inegáveis com um conceito bem simples: delegar tarefas repetitivas aos robôs. A chamada Automação de Processos Robóticos (RPA), é uma tecnologia que já está apresentando impacto na simplificação dos fluxos de trabalho para muitas empresas.

De acordo com o Gartner, a RPA está superando todos os outros segmentos do mercado de software corporativo em todo o mundo, com receita esperada de US$ 1,3 bilhão neste ano. Em 2018, o mercado cresceu 63%, alcançando os US$ 846 milhões. Com um caminho comprovado em geração de valor para os negócios, a expectativa é de que ainda mais empresas implementem iniciativas de RPA nos próximos meses.

Hiperautomação, por exemplo, é derivada da RPA, espécie de automação onde um software “aprende” os processos de uma tarefa com um operador humano e passa a replicar de forma independente.

2ª Tendência: Hiperautomação

Hiperautomação lida com a aplicação de tecnologias avançadas, incluindo Inteligência Artificial (IA) e Aprendizado de Máquina (ML) para automatizar cada vez mais os processos e potencializar a capacidade do ser humano. Como nenhuma ferramenta isolada pode substituir humanos, a Hiperautomação hoje envolve uma combinação de ferramentas, incluindo RPASoftware de Gerenciamento Inteligente de Negócios (iBPMS) e IA, com o objetivo de tomar decisões cada vez mais orientadas por Inteligência Artificial.

Compreender a variedade de mecanismos de automação, como eles se relacionam e como podem ser combinados e coordenados é um dos principais focos da Hiperautomação.

Apesar dessa tendência ter sido iniciada com a RPA, ela por si só não é Hiperautomação, pois ela requer uma combinação de ferramentas para ajudar a suportar a replicação de partes de onde o humano está envolvido em uma tarefa.

3ª Tendência: Multiexperiência

Até 2028, a experiência dos usuários passará por uma mudança significativa na maneira como as pessoas percebem o mundo digital e como interagem com ele. Segundo o Gartner, as plataformas de conversação estão mudando a maneira como os usuários interagem com o mundo digital.

Atualmente a Multiexperiência concentra-se em experiências imersivas que usam realidade aumentada, virtual, realidade mista, interface multicanal de homem-máquina e tecnologias de detecção. A ideia tradicional de um computador com um único ponto de interação evolui para incluir interfaces multissensoriais e de multitoque, como dispositivos de vestir e sensores avançados de computador.

4ª Tendência: Democratização da Expertise

Democratização da tecnologia significa proporcionar acesso fácil a conhecimentos técnicos ou de negócios sem treinamento extensivo ou de alto valor as pessoas.

O “acesso do cidadão”, bem como a evolução do seu desenvolvimento e modelos sem código, são exemplos de democratização.

Até 2023, o Gartner espera que quatro aspectos principais da tendência de democratização se acelerem, incluindo democratização de:

  • Dados e análises — ferramentas direcionadas a cientistas de dados que se expandem para atingir a comunidade de desenvolvedores profissionais;
  • Desenvolvimento — ferramentas de Inteligência Artificial para alavancar aplicativos customizados;
  • Design — expandindo os fenômenos de baixo código e sem código, com automação de funções adicionais de desenvolvimento de aplicativos para capacitar o cidadão-desenvolvedor;
  • Conhecimento — profissionais que não são de TI obtendo acesso a ferramentas e sistemas especializados que os capacitam a explorar e aplicar habilidades especializadas além de seus próprios conhecimentos e treinamento.

5ª Tendência: IoT

Em outubro foi publicado um decreto presidencial que instituiu o Plano Nacional de Internet das Coisas. A finalidade do plano é dar mais espaço à IoT no Brasil, implementando e desenvolvendo novas tecnologias enquanto se leva em consideração a livre concorrência e livre circulação de dados, sem deixar de dar a devida importância à proteção de dados pessoais.

Com essa medida, o Governo visa melhorar a qualidade de vida das pessoas e promover ganhos através de soluções de IoT, além de capacitar profissionais para desenvolverem aplicações de nessa área, gerando empregos na economia digital.

Numa visão mais global, um relatório de pesquisa da CompTIA de 2019 revelou que cerca de um terço das empresas dos EUA acredita que as estratégias de IoT podem ajudar a impulsionar suas receitas.

Big Data já existe há cerca de 10 anos, mas o verdadeiro desafio é encontrar uma maneira de entender e descobrir como usá-lo para fins comerciais.

Diversos profissionais apontam os benefícios do processamento inteligente – incluindo a redução de dados – na borda antes de serem enviados para a nuvem.

6ª Tendência: Inteligência Artificial

Há uma expectativa de que a Inteligência Artificial (IA) cause um grande impacto no setor de relacionamento com o cliente. O Gartner estima que até 2020 um quarto das interações de atendimento envolverá algum tipo de tecnologia de IA.

Entre as possibilidades estão ações automatizadas, análise preditiva, chatbots e assistentes virtuais. A tecnologia também pode resolver solicitações repetidas, o que libera os agentes humanos para lidar com questões mais complexas.

Gartner aponta ainda que, no próximo ano, 30% de todas as empresas B2B irão empregar ferramentas de Inteligência Artificial em pelo menos uma das etapas do processo de vendas. O mesmo levantamento traz outro dado relevante: em 2025, as organizações que usarem a IA em suas plataformas multicanais de engajamento irão aumentar em 25% sua eficiência operacional.

FONTE: NSB Performace Financeira

Compartilhe!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.