Integração de ERP com Ecommerce

Desde o final da década de 80, com a popularização da internet, os hábitos dos consumidores vêm se modificando. Os e-commerces e marketplaces, por exemplo, têm ganhado destaque e proporcionado diversas vantagens, como praticidade, variedade de produtos e preços atrativos. Por isso hoje é muito vantajoso a integração ERP e ecommerce.

As empresas têm se transformado e recorrido às novas ferramentas para aumentar sua competitividade, garantir os lucros e oferecer aos clientes experiências positivas de compras. É nesse contexto que os softwares de gestão ERP se tornaram os maiores aliados desses empreendimentos — sobretudo com a integração na plataforma e-commerce.

Por que fazer a integração ERP e ecommerce?

Você já deve saber que a utilização do software de gestão permite que os diversos setores da empresa trabalhem em sintonia para otimizar e acompanhar todos os processos. Com a integração não é diferente. Ela aumenta o controle das operações, amplia a eficiência do negócio e reduz os custos.

Vejamos mais alguns motivos para fazer integrar a plataforma e-commerce:

  • otimização dos diagnósticos de erros e falhas;
  • automação dos processos, aumentando sua agilidade;
  • mais assertividade no controle do estoque;
  • roteirização e acompanhamento dos pedidos;
  • emissão de notas fiscais;
  • melhoria nos relacionamentos com os clientes;
  • monitoramento e análise dos KPIs (Key Performance Indicators);
  • cadastro otimizado de produtos;
  • integração do CRM (Customer Relationship Management);
  • gerenciamento à distância (mobilidade).

Quais são as melhores práticas nesse sentido?

1 – Escolha da plataforma de e-commerce

Existem diversas plataformas disponíveis hoje no mercado, cada uma delas com suas próprias funcionalidades, recursos e formas de integração. Por isso, o ideal é analisar as possibilidades com cuidado e escolher aquela que melhor se adapte às necessidades específicas da sua loja.

Para fazer a escolha correta, pesquise bastante e conte com o auxílio de uma empresa confiável, que disponibilize o suporte necessário em todas as fases da integração na plataforma e-commerce. Busque prestadoras de serviço que ofereçam bons diferenciais!

2 – Escolha do sistema de gestão ERP

O ERP (Enterprise Resource Planning) é o software responsável por organizar todas as atividades e setores da empresa, como produtos, pagamentos, pedidos, despachos de mercadorias, emissões de notas fiscais etc. Assim como a plataforma, o ERP precisa atender às especificidades do seu negócio. Portanto, na hora de fazer a escolha, verifique quais são as funcionalidades oferecidas e, se possível, opte por sistemas customizáveis.

3 – Definição da integração ERP e o ecommerce

As possibilidades de integração entre ERP e ecommerce oferecidas também devem ser cuidadosamente verificadas. Inclusive, elas podem determinar a escolha da plataforma, já que é indispensável que exista compatibilidade nesse sentido.

O recomendável aqui é contratar uma empresa especializada em integração. Isso garantirá alguns benefícios capazes de aumentar significativamente a qualidade do empreendimento — em especial, o gerenciamento do e-commerce, do marketplace e da loja física em um mesmo espaço. Assim, todas as operações são centralizadas e otimizadas!

A InterGATE é especialista em Integrações…Fale conosco

Após a aquisição do ERP e da plataforma, já é possível iniciar a integração propriamente dita. Cada um dos sistemas têm configurações próprias para a unificação de processos: em certos casos os procedimentos são manuais, em outros, automáticos ou feitos por meio de planilhas. Em todos eles, contudo, as informações solicitadas devem ser preenchidas, e os sistemas, sincronizados.

4 – Atenção ao fluxo operacional entre os sistemas

Para eliminar erros e garantir a o funcionamento acertado da integração, o fluxo operacional entre os sistemas merece atenção especial. As trocas de dados entre a plataforma e o ERP acontecem em diferentes fluxos. Informações como o cadastro de produtos (categorias, preços, variantes, estoque, dentre outras) são enviadas do ERP e recebidas pela plataforma.

Em processo inverso — ou seja, da plataforma para o ERP — são transmitidas informações como novos pedidos, baixas no estoque e clientes, por exemplo. E vale destacar que o cadastro das mercadorias na loja virtual deve ser realizado sempre por meio do ERP. Desse modo, é possível evitar que os produtos saiam do controle interno do negócio.

Conforme foi dito, a compatibilidade entre o ERP e a plataforma deve ser a mais ampla possível. Isso assegura a padronização e evita a existência de informações dispersas.

5 – Pontos de atenção na integração

Por fim, ainda há dois outros pontos que merecem atenção ao se realizar a integração. O primeiro diz respeito à ruptura de estoque: quando os produtos não estão disponíveis no momento exato de compra do cliente, ocorre uma queda de vendas, junto a uma redução do lucro e a perda da competitividade. O ideal, portanto, é sempre ficar de olho no índice de ruptura.

O segundo ponto, por sua vez, está relacionado ao sincronismo de preços. Como os valores das mercadorias são reajustados frequentemente, para não perder oportunidades de vendas ou sofrer algum tipo de prejuízo é indispensável que o valor do produto seja exatamente o mesmo na plataforma e no ERP.

Com essa integração na plataforma e-commerce ocorre ainda a melhoria da comunicação com os fornecedores e a redução do tempo de resposta ao público. Além disso, o gerenciamento da empresa elimina as barreiras físicas com o uso de dispositivos móveis (e aplicativos), e novas possibilidades de captação e fidelização dos clientes são inauguradas.


FONTE: E-Commerce Brasil


Compartilhe!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.