Integração de ERP com APIs – Parte 1

A integração de ERP com APIs acontece da seguinte forma: num sistema de informação gerencial (ERP), uma Interface de Programação de Aplicações (API) garante a interação eficaz do software com outros aplicativos. Assim, há uma atualização dos dados em tempo real.

Fornecedores de sistemas oferecem suas próprias APIs para ajudar as organizações a conectarem o ERP a outras funcionalidades e ferramentas. Mas a companhia pode, ainda, decidir usar uma API de terceiros ou criar sua própria interface.

Com isso, é possível que haja um aumento da complexidade de alguns aspectos relacionados ao setor de TI, na fase de atualização, por exemplo, e a necessidade de buscar um maior nível de segurança.

O que é API de integração e qual sua relação com o ERP?

Uma API define a forma como o software e os programas externos a ele interagem. As APIs são necessárias para garantir que os dados dos aplicativos de ERP fiquem acessíveis para outros programas.

Dizendo de outra forma, uma API é a intermediária entre o ERP e o programa, requisitando dados. A API recebe o pedido e entrega os dados desde que o pedido tenha as permissões adequadas. Ela também controla quais dados podem ser pedidos e como eles serão entregues.

Integração de ERP com APIs

O que é API de integração na prática?

Por meio da integração de ERP com APIs, o setor administrativo consegue associar o sistema usado num escritório administrativo, por exemplo, ao software instalado em seus pontos de venda (PDV). Isso ocorre por meio da internet, em ambientes geograficamente distantes, ou pela rede interna da empresa.

Nesse sentido, ainda é possível recuperar todas as reduções Z geradas pelo PDV para lançamento em plataformas. Elas auxiliam na elaboração de relatórios obrigatórios às empresas, como SINTEGRA e SPED, e no controle de qualquer movimentação de caixa nas unidades da companhia em que o ERP, integrado pela API, esteja instalado.

O cadastro de clientes, fornecedores, vendedores e produtos também é integrado. Lançamentos e atualizações são automáticos em todos os sistemas contidos em PDVs, setores produtivos e administrativos da empresa.

A InterGATE é especialista em Integrações… Fale conosco…

O que devo saber sobre a integração de ERP com APIs?

1. Garanta a atualização da API

Muitas organizações criam suas próprias APIs ou as adquirem no mercado para garantir que o ERP funcione de acordo com todos os outros aplicativos. Nesse caso, muitos fatores podem afetar o andamento da API à medida que os aplicativos são atualizados.

Para que isso não ocorra, é preciso que o desenvolvedor, ao sair do quadro de funcionários da empresa, defina outro profissional para manter o funcionamento correto da API.

2. Saiba que as APIs incorporam complexidade ao setor de TI

A API precisa ser instalada e mantida em conformidade com outros sistemas. Apesar disso, se o processo de atualização não for feito corretamente entre todos os componentes — ERP, ferramentas complementares e a própria interface —, é possível que suas funcionalidades sejam quebradas ou a aplicação do ERP não funcione.

Dessa forma, para evitar que a API adicione muita complexidade ao setor, é necessário elaborar e implementar um bom plano de contingência.

3. Mantenha um profissional qualificado e um sistema de gerenciamento de APIs

Como falado, o gerenciamento de APIs é um processo complexo em implementações de softwares de qualquer tamanho. É provável, inclusive, que haja a necessidade de implantar mais de uma API para conectar totalmente as funcionalidades do ERP.

Isso envolve vários pontos de vulnerabilidade a serem monitorados, inúmeros pontos de complexidade a serem mantidos e mais diversos pontos de falha em potencial.

Um programa de gerenciamento de API e um profissional qualificado para atuar no setor podem auxiliar nesse sentido. Os maiores problemas são conseguir mão de obra adequada e arcar com os altos salários exigidos pelo cargo.

Business Corporate Protection Safety Security Concept

4. Lembre-se de que APIs são suscetíveis a vulnerabilidades

Assim como acontece com qualquer sistema operacional conectado pela rede, APIs integradas com ERP são suscetíveis a falhas operacionais.

Dessa forma, é preciso implementar ações de segurança da informação em todos os dispositivos. Firewall e sistemas de segurança de endpoints são essenciais para que as vulnerabilidades sejam monitoradas e controladas adequadamente.

5. Conte com um id original armazenado externamente

Manter dois registros diferentes entre sistemas distintos caracteriza falta de integração. Para reverter isso, é preciso referenciar os recursos usando uma chave primária (denominada de id original), existente em um sistema externo em comum para todo o sistema.

Ao criar um registro único por meio de um id original, é possível informá-lo em caso de atualização para backup do mesmo banco de dados no sistema.

6. Escolha um sistema que sincronize os dados entre softwares e suas versões

A sincronização de dados por meio da atualização entre o sistema em operação e o sistema externo deve criar uma identidade numérica que salva as alterações internamente. Assim, é possível consultar os registros modificados desde aquela data.

A tendência de mercado é a criação de sistemas que já promovam a integração de ERP com APIs — em vez do desenvolvimento da própria aplicação pela empresa adquirente do software. Essa solução é a mais efetiva e promissora para aumentar a segurança, a agilidade e a produtividade da organização.


FONTE; http://blog.consistem.com.br/6-coisas-sobre-integracao-de-erp-com-apis/


Compartilhe!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.